Os servidores efetivos da Saúde lotados no Hospital de Trauma emitiram nota, esta tarde (terça, dia 2), denunciando a discriminação como vêm sendo tratados pela organização social responsável pela terceirização do hospital, a Cruz Vermelha gaúcha, e como o aval do governo do Estado. Um dos pontos mais questionados pelos servidores é o atraso de três meses no pagamento da produtividade.

Diz a íntegra da nota assinada pelo servidor Jobson Farias:

Os servidores efetivos concursados de todo estado independente do nível tem o adicional de produtividade inserido em folha de pagamento ( holerites), já no trauma a realidade vinha acontecendo de maneira diferente do restante do estado .

A OS (Cruz Vermelha) recebia essa verba SUS e só era repassada para o servidor efetivo quando era feito o pagamento para os funcionários celetistas, ou seja, já sofríamos com esse atraso de nosso poder aquisitivo.

Pois bem, nesses últimos três meses esse adicional de produtividade não estava mais sendo repassado para a maioria desses efetivos. Agora com a saída da Cruz Vermelha os rumores e conversas de corredor já se traduz o não recebimento desse adicional por parte do estado que recebe cerca de 70% do poder federal. 

Lembrando que todo o Estado já foi repassado em folha nas demais unidades da lotadas na SES.

E agora como fica os servidores efetivos do Hospital de Trauma?