Era um silêncio de incomodar. Eis então que a Gaeco mostrou a que veio, nas primeiras horas desta quarta (dia 9). Em nova fase da Operação Calvário, resultado especialmente da delação do ex-assessor Leandro Nunes Azevedo, a força tarefa cumpriu vários mandados de busca e apreensão, mas especialmente prendeu o secretário Ivan Burity (Executivo de Desenvolvimento e Turismo do Estado).

As investigações tiveram como foco, especialmente, as ligações incestuosas de integrantes do governo Ricardo Coutinho com a organização social Ipsep (Instituto de Psicologia Clínica e Educacional), considerada um braço da Cruz Vermelha gaúcha, que tinha contratos de terceirização nas áreas de Saúde e Educação.

Pelas investigações, Ivan teria sido o elo de propina com essa OS e teria trazido, apenas numa oportunidade, de R$ 1,2 milhão em especie de Curitiba, num avião fretado, segundo Leandro. O dinheiro foi utilizado para irrigar a campanha do então candidato à reeleição, Ricardo Coutinho.

A operação se deu a partir dos mandados expedidos pelo desembargador Ricardo Vital de Almeida, e teve como alvos, além de Ivan Burity, as prisões preventivas de Jardel Aderico da Silva e Eduardo Simões Coutinho, afora 25 mandados de busca e apreensão, na Paraíba (João Pessoa, Santa Rita e Mataraca) e mais quatro Estados, inclusive na sede do Ipcep.

Mandados – Os alvos dos mandados de busca e apreensão são os (ainda) secretário Aléssio Trindade de Barros (Educação), José Arthur Viana Teixeira (executivo da Educação) e Ivan Burity de Almeida, Pousada de Camaratuba (pertencente a Ivan), empresa Conesul, Márcio Nogueira Vignoli, Hilário Ananias, Editora Grafset, Vladimir dos Santos Neiva (dono da Grafset), J.R.Relacional (Ribeirão Preto e Maceió).

Também Jardel da Silva Aderico, Antônio Carlos de Souza Rangel, Henaldo Vieira da Silva, Giovana Araújo Vieira, Mário Sérgio Santa Fé da Cruz, Eduardo Simões Coutinho, José Aledson de Moura, Ipcep e Brink Mobil Equipamentos Educacionais, como sedes em Colombo, Curitiba e Campina Grande do Sul (PR), além de São Paulo (SP).

Radiografia – Estão sendo cumpridos 13 mandados na Paraíba, sendo dois de prisão preventiva e onze de busca e apreensão, em João Pessoa, Santa Rita e Mataraca. Também mais quatro no Estado do Rio de Janeiro, três em São Paulo, cinco no Paraná, todos de busca e apreensão, além de dois mandados, sendo um de prisão preventiva e outro busca e apreensão, em Alagoas.

CONFIRA A LISTA DOS ENVOLVIDOS

  • Aléssio Trindade de Barros – secretário da Educação e da Ciência e Tecnologia da Paraíba;
  • Ivan Burity de Almeida – secretário de Turismo e Desenvolvimento Econômico da Paraíba;
  • Eduardo Simões Coutinho – diretor do Hospital Geral de Mamanguape;
  • Jardel da Silva Aderico – ex-secretário da Promoção da Paz de Alagoas;
  • José Arthur Viana Teixeira;
  • Márcio Nogueira Vignoli;
  • Hilário Ananias Queiroz Nogueira;
  • Vladimir dos Santos Neiva;
  • Antônio Carlos de Souza Rangel;
  • Henaldo Vieira da Silva;
  • Giovana Araújo Vieira;
  • Mário Sérgio Santa Fé da Cruz;
  • José Aledson de Moura
  • Pousada Potiguara/Camaratuba LTDA – propriedade do investigado Ivan Burity de Almeida;
  • Conesul Comercial e Tecnologia Educacional EIRELI – propriedade do investigado Márcio Nogueira Vignoli
  • Editora Grafset LTDA – propriedade do investigado Vladimir dos Santos Neiva;
  • J.R. Araújo Desenvolvimento Humano EIRELI/Editora Inteligência Relacional (com endereços em Ribeirão Preto/SP e Maceió/AL) – propriedade do investigado Jardel da Silva Aderico;
  • Instituto de Psicologia Clínica Educacional e Profissional (IPCEP) – entidade filantrópica que gerencia ações e serviços do Hospital Geral de Mamanguape;
  • Brink Mobil Equipamentos Educacionais LTDA (com endereços em Colombo/PR, Curitiba/PR, Campina Grande do Sul/PR e São Paulo/SP).