O que leva o Detran manter uma empresa credenciada para realização de inspeção veicular, quando, em 2016, essa mesma empresa foi alvo de investigação que apontou irregularidades na prestação de seus serviços? Em 13 de dezembro de 2016, a Renavin (Registro Nacional de Vistorias e Inspeções) foi descredenciada e acusada de causar prejuízo de R$ 5 milhões ao Detran (mais em http://bit.ly/2nN00Jf).

O descredenciamento está registrado no Diário Oficial da Paraíba, edição de 14 de janeiro de 2016 (publicação pode ser conferida em Diario Oficial 14-01-2016) Era de se supor que, diante das várias irregularidades apontadas, a empresa não estivesse mais credenciada…

Mas, se o motorista, agora em 2019, precisar realizar inspeção em seu veículo terá de agendar precisamente com a… Renavin (CNPJ 15.305.955/0001-24), empresa que tem sede no Rio Grande do Norte, mas que fatura cerca de R$ 1 milhão por mês, para realizar o serviço. Tudo porque a empresa tem a exclusividade para realizar as vistorias que custam de R$ 37,43 (motos) até R$ 187,65 (automóveis).

Segundo estimativas de funcionários do Detran, a empresa teria faturado “perto de R$ 100 milhões ao longo dos últimos oito anos”. O caso, inclusive, chegou ao conhecimento do governador João Azevedo, que teria determinado uma inspeção sigilosa.

Em todos os demais Estados do País há sempre mais de uma empresa credenciada pelos Detrans para a realização das vistorias. Conforme informações passadas ao Blog por um funcionário do Detran PB, “a Paraíba é um caso único em que existe apenas uma empresa para realizar o serviço”. O Blog indaga: “E qual o custo para a empresa realizar uma vistoria?” O funcionário: “Uns R$ 20,00. É muito baixo.”

Mas, então qual o mistério por trás dessa relação entre o Detran e a Renavin, mesmo depois de ter sido descredenciada? Funcionários do Detran apontam que a empresa teria “um sócio oculto, um figurão com grande influência na administração estadual”. Depois, é comum os funcionários comentarem a “boa relação que existe entre o superintendente Agamenon Vieira e o um dos sócios da Renavin”, Alex os Santos Garcia. Eles, inclusive, teriam um “encontro de almoço semanal”.

São as mesmas indagações que têm feito investigadores do Ministério Público da Paraíba, intrigados com essa íntima relação entre o Detran a e empresa. E, até onde o Blog pode apurar, as respostas podem levar a muitos desdobramentos nos próximos dias.