Daniel Gomes da Silva, considerado pela investigação da Operação Calvário o chefe da Organização Criminosa que desviou milhões da saúde de diversos estados , inclusive a Paraíba, foi preso dia 14 de dezembro assim que chegava de Portugal ao Rio de Janeiro.

O que chama a atenção nessa fase do processo criminal da Operação Calvário é que o controlador foi preso no Rio de Janeiro, o fato é investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, mas o preso Daniel Gomes da Silva foi transferido para um presídio em Brasília.

Advogados que trabalham para envolvidos na Operação Calvário não falam sobre o caso, pois tem parte dos atos processuais e provas ainda mantidos em sigilo.

Segundo a investigação Daniel Gomes controlava a Cruz Vermelha, garantia que a Organização Social fosse escolhida nos estados, e já tinha uma lista de empresas fornecedoras e prestadoras de serviço para serem contratadas. Assim não precisava realizar licitação e fazia contratos superfaturados com o objetivo de que parte do dinheiro fosse entregue , em espécie, ao chefe, que por sua vez pagava propina a agentes públicos e abastecia campanhas eleitorais.